Insuficiência respiratória e sequência rápida de intubação

Aula de Insuficiência Respiratória

As doenças respiratórias, principalmente, do trato inferior, compreendem uma das condições clínicas de maior morbimortalidade, principalmente, nas crianças abaixo dos 5 anos de idade. Representa uma das principais causas de consultas no serviço de urgência. As particularidades anatômicas e funcionais da criança predispõem ao surgimento da insuficiência respiratória de forma mais precoce quando comparada ao adulto.

Na aula a seguir, veremos os mecanismos compensatórios envolvidos na insuficiência respiratória; como reconhecer, precocemente, os seus sinais e instituir a terapêutica adequada para garantir o bom prognóstico da criança.

Aula Sequência rápida de intubação

A intubação orotraqueal é um procedimento que garante a ventilação e oxigenação no paciente com insuficiência respiratória, minimizando o trabalho respiratório e garantindo uma melhora da oferta tecidual de oxigênio. No entanto, a laringoscopia realizada durante a intubação, pode desencadear uma série de eventos adversos que podem ser prejudiciais ao paciente, como a bradicardia (por reflexo vagal), a hipóxia, a taquicardia e aumento da pressão arterial, entre outros. Visando oferecer condiçõs ideais para a sua realização, o uso da sequência rápida de intubação (SRI) através da sedação e do bloqueio neuromuscular facilita o procedimento e minimiza os seus efeitos adversos.

Na aula a seguir veremos os passos para a realização da  SRI, suas contra indicações e as características dos sedativos e bloqueadores neuromusculares disponíveis para uso na emergência.

Referências

Is there a role for humidified heated high-flow nasal
cannula therapy in paediatric emergency departments?

Myth: Atropine should be administered
before succinylcholine for neonatal and pediatric intubation

The Myth of a Minimum Dose for Atropine

Respiratory support for children in the emergency department